Kajuru, um exemplo (2)

As seis últimas partes da participação de Kajuru no Programa Raul Gil.

Divirtam-se, mas também pensem, muito, a respeito.

Kajuru, um exemplo (1)

Jorge Kajuru sempre se caracterizou pela polêmica de suas declarações. Declarações duras, eloquentes, dificilmente em linha com o senso comum. Destemido, Kajuru nunca se preocupou em dizer o que pensava de quem quer que fosse, mesmo que isso o marginalizasse cada vez mais.

As bombas orais acabaram por afastar Kajuru do grande círculo midiático brasileiro. As redes nacionais de televisão, todas elas, não suportaram as pressões externas para que o bocudo tivesse sua metralhadora censurada. Depois de algum tempo, Kajuru passou a ser liberado sem cortes apenas em retransmissoras regionais.

Kajuru cansou. No quadro “Pra quem você tira o chapéu”, do Programa Raul Gil de 28 de agosto último, anunciou sua aposentadoria das câmeras. Diz ter-se enojado. Razões para tal deve ter muitas.

Fica o exemplo. De caráter, destemor, desprendimento. De loucura, dirão alguns. Mas, sobretudo, o exemplo do que acontece com quem se atreve a pensar e falar o que pensa. No Brasil democrático. E ainda tem quem acredite que não existe mais censura em nosso país…

Fica também a participação, sempre marcante, de Kajuru no Programa Raul Gil. Em nove partes. As três primeiras, hoje.