Regras que dão asas

Nosso grande Daniel Marchi foi rápido. Como bom piloto que é, no kart. Não abandonou o projeto de cobertura opinativa da temporada de Fórmula 1. Os leitores e eu agradecemos. Abaixo a coluna.

Enquanto a Copa do Mundo começa a pegar fogo, tivemos de fazer um pequeno esforço para virar a chave e acompanhar a Fórmula 1. Para mim, sem problemas, gosto muito dos dois. Vamos lá. Os treinos indicavam que a Ferrari esboçaria algum tipo de reação. As diversas circunstâncias da corrida, especialmente o safety car, não permitem qualquer tipo de conclusão. O fato é que a segunda metade do certame está aí e os membros da equipe italiana estão conjugando muitos verbos no gerúndio (trabalhando, desenvolvendo, tentando…).

Há pouco o que se dizer sobre a corrida em si. O resultado final, com Vettel, Hamilton e Button perfazendo o pódio, foi construído com relativa tranquilidade no circuito chocho de Valência. Por outro lado, há muito pano pra manga com relação aos acidentes e às punições.

Mark Webber renasceu neste domingo. Foi protagonista de uma tragédia anunciada, devidamente patrocinada pela irresponsabilidade infinita dos senhores da FIA, FOM e FOTA. A proibição dos testes durante a temporada é o túmulo da F-1. Os pilotos de Lotus, Virgin e Hispania deveriam ir de nariz de palhaço aos autódromos. Novatos como Di Grassi e Senna simplesmente fazem papel de bobos ao pilotarem nessas circunstâncias. Toc toc toc na madeira. Será que os cartolas estão esperando que um carro voe arquibancada adentro e machuque uma centena de pessoas? É esse espetáculo que querem ver?

Sobre as punições. A de Lewis foi claramente justa. Seu talento é enorme, assim como sua capacidade de fazer bobagens. Justa também é a reclamação de alguns pilotos sobre o tempo de análise e aplicação da “multa”. A demora permitiu que o inglês retornasse à sua posição original. Curiosa mesmo é a penalidade que nada menos que nove pilotos receberam ao final da prova. Uma penca de pilotos da metade da frente tomou cinco segundos em cima do tempo final por exceder o tempo máximo de uma volta enquanto o SC se encontrava na pista. Regra brilhante, não? Deixando de lado o tecnicismo boboca da regra, quem acelera na F-1 de hoje é punido.

Mas essas regras estapafúrdias não vão me chatear hoje… já retornei a chave à posição Copa do Mundo.

***
Em tempo, os créditos a quem os merece. Foi anunciado na última quarta-feira (23/06) que a Pirelli será a fornecedora única de pneus para a temporada 2011. Daniel adiantara a notícia aqui, no dia 30/05. Boa, Marchi!
Anúncios