Ranking dos Clubes Brasileiros de Futebol

O Ranking dos Clubes Brasileiros de Futebol surgiu em 2001, em meio a devaneios mentais e estatísticos com o objetivo de chegar a uma fórmula que conseguisse classificar da forma mais precisa possível os clubes brasileiros de futebol, de acordo com as glórias de cada um.

A grande questão que se colocava era encontrar um jeito de relativizar a problemática, e por que não injusta, vantagem dos times mais antigos do Brasil, que, por terem disputado mais campeonatos ao longo de sua história, poderiam aparecer classificados à frente de equipes mais jovens, ainda que estas apresentassem melhor desempenho tendo em vista o número de certames disputados.

Embora esse aspecto se fizesse relevante apenas em relação aos campeonatos estaduais, disputados no Brasil desde o início do século XX – antes, portanto, da fundação de alguns dos principais clubes tupiniquins -, era algo que tendia a viciar os rankings geralmente elaborados, que privilegiavam sempre e apenas o número absoluto de títulos, sem qualquer menção à produtividade das equipes.

Depois de algumas horas e outros tantos neurônios perdidos, fez-se a luz e surgiu a fórmula de classificação para os torneios estaduais, que será mais bem detalhada – assim como outras características do sistema – ao longo dos próximos dias, quando serão apresentados um a um os rankings parciais que geram a classificação geral.

Por ora, vale dizer que: (i) a classificação considera todos os torneios oficiais nacionais e internacionais disputados pelos clubes brasileiros; (ii) via de regra, a pontuação premia campeões e vices. As exceções são o Campeonato Brasileiro e o seu precursor, Torneio Roberto Gomes Pedrosa, em que os quatro primeiros colocados são premiados, e o Mundial de Clubes, em que apenas o campeão pontua; (iii) apenas os campeonatos estaduais necessitaram da tal relativização produtiva – todos os demais torneios oficiais nacionais e internacionais passaram a ser disputados com todos os grandes clubes já em vida.

O quadro abaixo traz a pontuação estabelecida para cada torneio.

Para figurar na classificação geral, um clube precisa, pelo menos, ter participado de duas finais, considerando torneios nacionais ou internacionais, com ao menos uma conquista nesses torneios. Isso não significa que o clube não será listado nas classificações parciais. Apenas minimiza o risco de clubes com muitas vitórias estaduais, porém pouca relevância nacional, aparecerem falsamente bem colocados no ranking geral dos melhores do Brasil.

Mediante esse critério, 16 clubes integram o Ranking Geral dos Clubes Brasileiros de Futebol. O São Paulo destaca-se na liderança, com 1.133,38 pontos e uma folga conseguida nos últimos anos graças à Libertadores e ao Mundial de 2005 e ao tricampeonato brasileiro 2006/08. Em segundo, vem o Cruzeiro, seguido por Palmeiras, que chegou a pontuar a classificação mas perdeu espaço nos últimos anos, e Flamengo.

A seguir, dois clubes que evoluíram bastante no ranking nas últimas temporadas, Santos e Internacional. O Santos, além da Copa do Brasil deste ano, tem, no currículo dos anos 2000, dois Brasileiros e um vice da Libertadores. Já o clube gaúcho cresceu com o título mundial de 2006 e das Libertadores de 2006 e deste ano.

O Grêmio acompanha de perto o arqui-rival, fechando um quinteto separado por menos de 70 pontos. O Corinthians fecha o clube dos oito melhores. Pela ordem, Vasco, Atlético Mineiro, Fluminense, Bahia, Botafogo, Sport, Atlético Paranaense e Guarani completam a lista.

Confiram a classificação completa. Divirtam-se e esperem as classificações segmentadas – nacional, internacional e estaduais – nos próximos dias.

Anúncios

Sobre Thiago B. Ribeiro
Thiago Barros Ribeiro tem 32 anos, é paulistano, sampaulino e, segundo as boas e más línguas, quase insuportavelmente chato. Mestre em Economia por formação, gestor público por profissão, metido a besta em esportes por paixão.

8 Responses to Ranking dos Clubes Brasileiros de Futebol

  1. andre bastos says:

    Thiago… esse ranking leva em conta que os estaduais foram perdendo importância com o passar dos anos? … para mim, isso é essencial, pois os times que hoje jogam a Libertadores, dão pouca importância ao estadual.

    • Concordo, André. O ideal seria um sistema em que pudéssemos captar não apenas o seu ponto, mas também outras “mudanças de humor” dos times em relação aos campeonatos. A Libertadores não era tão valorizada pelos clubes brasileiros até o início da década de 90 e as vitórias do São Paulo. A Copa do Brasil de hoje é mais fácil de ser vencida, posto que não conta com os participantes da Libertadores, do que era há alguns anos…
      Porém, a trilha por esse caminho encheria o ranking de arbitrariedades, com vários pontos de quebra na pontuação. Por isso, em que pese a limitação de um sistema que classifica cada campeonato de forma regular ao longo dos anos, parece ainda ser essa a forma menos arbitrária e mais justa de classificação.

  2. Ramon Garcia Fernandez says:

    Se o Paraná não está no ranking, isso evidencia que o ranking tem problemas.
    🙂

    • Grande Ramón! O jovem e glorioso Paraná Clube infelizmente não atende ao critério de entrada no ranking principal, mas aparece sim no ranking estadual, como verá nos próximos dias. Abraço

  3. andre bastos says:

    Sim. Qualquer ranking tem arbitrariedade. Mas pense que isso é essencial para a justiça. Outra coisa é o peso relativo dos Estaduais de MG e RS, que normalmente são disputados por 2 times apenas (falo isso só porque para mim não tem cabimento o Inter estar na frente do Santos historicamente). Mas ao invés de ficar criticando, só tenho que elogiar seu trabalho. Vou sugerir formas de “aliviar” essas questões de tempo. Seria pedir muito pra vc me enviar a planilha que montou? Um abs. Carioca.

    • A pontuação para os estaduais seguiu dois critérios, que serão detalhados num dos próximos posts: (i) número real de times na disputa; (ii) número de títulos nacionais e internacionais dos times participantes. O primeiro critério puxou a pontuação do gaúcho e do mineiro pra baixo e o segundo, pra cima.
      Quanto ao Inter, as conquistas de 2006 para cá fizeram-no superar não apenas Santos, mas também Flamengo, Grêmio e Corinthians. Além das duas Libertadores e do Mundial, o desempenho do Colorado em Brasileiros é impressionante, o que ainda se coroa com os 39 campeonatos gaúchos.
      Já o Santos perde espaço justamente por, entre os grandes, ser de longe o que tem pior desempenho no seu respectivo campeonato estadual, atrás do Trio de Ferro da Capital e, até, do saudoso Paulistano.
      Mando sim a planilha, assim que terminar de postar todos os rankings. Abraço e obrigado pelos comentários. Sugestões sempre bem-vindas.

    • Em tempo, André, corrigi a pontuação para vices do Campeonato Brasileiro e do Roberto Gomes Pedrosa. Com isso, o seu Santos ultrapassou o Inter no ranking geral, mas perdeu posição para o Flamengo, quarto colocado, mantendo-se em quinto.

  4. andre bastos says:

    hahaha!… fez uma justiça e uma injustiça… mas no geral melhorou.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: