Nem para segundo piloto

Por Marcelo Cerri

Há algumas semanas tive a honra de hospedar em minha casa um grande amigo italiano. Filippo comentava que seu xará brasileiro já não era mais tão querido na Itália. Os tifosi haviam perdido a paciência com ele pela sua falta de arrojo e determinação. Fica séculos atrás de carros mais lentos para não arriscar.

Foi no mínimo patética a atuação de Massa no GP de Cingapura. Todos aqueles que tinham carros superiores aos do adversário tentaram ultrapassagens, muitos conseguiram, alguns bateram. Mas isso mostra que não estávamos em Monte Carlo, as ultrapassagens eram possíveis. O brasileiro, no entanto, com um carro que seguramente era um dos quatro melhores do final de semana, conseguiu a proeza de se manter durante quase toda a corrida atrás de Hulkenberg, sem nem mesmo forçar uma ultrapassagem. Um piloto que se contenta em ser o 10º não merece guiar uma Ferrari.

Fomos poucos aqueles que defenderam a ordem de equipe no GP da Alemanha. Agora não acredito que alguém em sã consciência continue a condenar a Scuderia por ter favorecido o piloto que foi mais rápido durante a corrida, durante todo o final de semana e durante todo o ano. Hoje é bem claro que Alonso é o primeiro piloto porque conquistou essa posição, porque luta até o último momento por cada ponto.

Podem argumentar que Webber lidera o campeonato mesmo não sendo um piloto agressivo, como Hamilton, Vettel, Kubica ou Alonso. Isso é verdade, ele não assume grandes riscos. Mas o australiano fez várias ultrapassagens durante a corrida e sustentou o terceiro lugar com muita coragem quando Hamilton deu o bote. Fez uma grande corrida.

Destaques do GP de Cingapura: a perfeição de Alonso, que não cometeu nenhum erro, e o show de Kubica no final da corrida, mostrando pela enésima vez que merece muito mais do que a Renault que tem em mãos.

Falando no polonês, ninguém duvida que ele é um piloto muito superior a Felipe Massa. Mas daí a querer colocá-lo na Ferrari, acho que existe uma longa estrada. Dois pilotos geniais numa mesma equipe é um suicídio. O espanhol sabe muito bem disso, já perdeu o campeonato de 2007 por esse motivo e não permitiria nunca que a Ferrari desse um tiro no pé. Massa deve ficar. Só não permanece se a Ferrari encontrar um segundo piloto melhor que ele, o que não é muito difícil. Estou certo de que até mesmo Trulli, por exemplo, teria dado à Ferrari ao menos uns seis pontos se estivesse nas mesmas condições do brasileiro.

Este é sem dúvida o melhor campeonato que já acompanhei. Vai entrar para a história. Cheios de orgulho, contaremos aos nossos filhos as proezas e loucuras de Alonso, Hamilton, Vettel, Kubica, Webber etc. Uma geração de super talentos.

***

O texto de Marcelo expressou tão bem meus pensamentos que se torna dispensável minha coluna de hoje. Ainda não estou a ponto de acreditar ser Trulli melhor do que Massa, mas assino embaixo da extrema decepção com o desempenho do brasileiro neste ano. Em meio às possíveis causas para uma queda tão gritante – Massa sempre foi um piloto, no mínimo, rápido e arrojado -, duas lebres se levantam e talvez se complementem: o acidente na Hungria, no ano passado, e o fato de Massa ter se tornado pai, também em 2009.

Para não perder o costume, resta ainda espaço para a menção desonrosa para Schumacher. Patético, como em todo o resto da temporada.

Anúncios